Agentes da defesa civil ensinaram como agir em caso de incêndio na mata - Foto: Marcos Fabrício

Os índios guaranis que vivem na aldeia Tekkoa Ka´aguy Hoovy Porã (Mata Verde Bonita, em tupi-guarani) em São José do Imbassaí participaram nesta quinta-feira (05/10) de uma capacitação oferecida pela Defesa Civil Municipal para combate a incêndios florestais. Foram mostradas técnicas para o uso de abafadores e outras como a criação das chamadas ‘linhas verdes’ com plantas que absorvem água como bromélias e a Espada de São Jorge e da ‘linha fria’, que usa espaços na terra. Além disso, os moradores da comunidade indígena tiveram ainda noções de como manusear uma mangueira de incêndio.

De acordo com o responsável pela capacitação, major Geovani Dias, a meta é criar um grupo de combate ao fogo entre os índios, para identificar e debelar pequenos focos de incêndio. Segundo estatísticas do Corpo de Bombeiros, Maricá foi o município da região que registrou mais incêndios florestais em 2015. “Quase 90% dessas ocorrências é causada por atividade humana, que vão desde balões a cigarros mal apagados. Houve um em 2016 na aldeia que chegou próximo às ocas. Por isso iniciamos por aqui este trabalho, que vai chegar a outros locais da cidade”, antecipou o major Dias.

Na plateia da palestra estavam estudantes da unidade escolar da aldeia, que tem uma área de 93 hectares com 21 ocas e cerca de 70 moradores. Para o cacique Darcy Tupã, que também acompanhou o treinamento, é para os menores que a lição deve ficar. “As criança devem aprender isso logo cedo para preservar. Quando acontece um incêndio na mata, nós tentamos apagar usando folhas grandes que encontramos, mas quase sempre o vento atrapalha”, revelou o chefe da aldeia, afirmando que os balões são os principais causadores.

Foto: Marcos Fabrício

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here