Veículos da EPT na nova base, no Caxito. Ao todo, são 37 ônibus na frota - Foto: Katito Carvalho

Um ano após a Empresa Pública de Transportes (EPT) assumir a operação das linhas que eram de responsabilidade da Viação Costa Leste (proibida de circular em 13/04/17 por descumprimento contratual) a população de Maricá está contente com a significativa melhora no transporte público gratuito da cidade. Os usuários ainda reivindicam melhorias, mas garantem que a mobilidade urbana; a frota nova, a qualidade e a limpeza dos veículos; os trajetos; o cumprimento de horários e o fato do serviço ser “tarifa zero” fazem dos Vermelhinhos uma modalidade de transporte essencial principalmente para os moradores de baixa renda.

No último fim de semana, a autarquia também deu mais um passo em direção à melhoria, com a entrada em operação da nova base de apoio do Caxito, onde toda a frota passou a ficar guardada. Além de amplo, o local tem também as facilidades necessárias à realização das manutenções periódicas, outra prioridade para a Prefeitura.

“No próximo dia 14 completaremos um ano do retorno do Vermelhinho e nesta segunda (02/04) batemos a casa de três milhões de passagens registradas ao longo desse período, o que por si só, já é motivo para comemorar”, afirma o presidente da EPT, André Azeredo. O número representa uma economia para a população de R$ 8,1 milhões no ano, considerando o valor da tarifa municipal de R$ 2,70.

“Atualmente a frota possui 37 carros, sendo que três estão em fase de licitação para começarem a circular. Hoje o nosso efetivo conta com 84 motoristas”, enumerou. Sobre os horários das linhas, André Azeredo garantiu que os Vermelhinhos circulam pela cidade das 4h20 até 0h30, com alguns horários especiais devido a particularidades de algumas regiões. Segundo o presidente da EPT, estratégias estão sendo pensadas e em breve serão colocadas em prática com o objetivo de melhorar os horários das linhas e diminuir os atrasos.

“Em dias úteis são 19 carros circulando pelo município, mas esse número deve aumentar para 21 com a inauguração de mais duas linhas que são Centro/Circular e Centro/Itapeba”, adiantou. “Também estamos construindo uma garagem aqui mesmo no Caxito que será utilizada para guardar os carros, realizar manutenção e limpeza. Essa garagem terá uma estrutura, um espaço maior, para que os carros estejam protegidos, bem estacionados e recebam todos os cuidados necessários de segurança e manutenção”, garantiu André Azeredo. Vale lembrar que devido às suas dimensões geográficas (Maricá tem 362 km²), as linhas costumam ter itinerários que demandam mais tempo para serem percorridos.

Usuários dos Vermelhinhos aprovaram o conforto, a segurança e a acessibilidade dos carros que circulam no município. Outra característica elogiada pela população foi em relação à conservação da frota. A estudante Bruna da Silva Moreira, de 17 anos, contou que vai para a escola todos os dias de Vermelhinho e desde que a linha Centro/Bambuí voltou a circular nunca mais chegou atrasada nas aulas.

“Quando o ônibus era da empresa antiga vivia quebrando no caminho, inclusive perdi aulas por conta dos atrasos. Minha opção era pegar van, mas o custo ficava alto. Algumas vezes fui barrada na escola porque o portão já estava fechado e quase perdi o ano. A partir do retorno dos Vermelhinhos isso nunca mais aconteceu”, relatou Bruna. “O Vermelhinho é muito bom não só para mim, mas também porque ajuda a pessoas que de fato passam por necessidades, pessoas que não estão empregadas, por exemplo”, avaliou. “O fato de nós vermos o ônibus sempre cheio só comprova que muita gente precisa desse transporte”, constatou. “Sobre a linha Bambuí, não tenho o que reclamar a respeito do horário, inclusive os motoristas são sempre educados. minha única sugestão seria apenas aumentar o número de carros para tentar evitar que ficassem tão cheios”, sugeriu a estudante.

A auxiliar de limpeza Maria Pereira, de 53 anos, moradora de Cordeirinho, contou que se não fosse o programa de Tarifa Zero não teria condições de arcar com as passagens diariamente. “Minha única insatisfação é em relação aos horários de saída dos carros, mas ainda assim é muito melhor do que na época da Costa Leste”, comparou Maria. “O ideal seria ter mais carros disponíveis, o que é bom ficaria ótimo”, completou. “Utilizo o Vermelhinho tanto para vir trabalhar como para voltar para casa, pois a firma em que  trabalho não me dá passagem e se não fosse o ônibus de graça eu não teria como vir trabalhar”, ressaltou a auxiliar de limpeza.

O motorista Valtermar Pereira, de 70 anos, morador de Cordeirinho, contou que utiliza o Vermelhinho (Centro/Ponta Negra) diariamente e mais de uma vez por dia. “O Vermelhinho é o meu principal meio de transporte atualmente. Se eu pudesse sugerir melhorias seria apenas em relação ao cumprimento mais rigoroso dos horários de saída aqui do terminal no Centro e também em relação a sinalização aqui na rodoviária, pois já aconteceu de eu ficar em uma fila e o ônibus estacionar em outra plataforma”, relatou. “Referente aos carros eu os considero ótimos. São carros novos, seguros e desde que os vermelhinhos voltaram a circular eu nunca mais tive problemas com carros quebrados durante a viagem”, frisou Valtermar.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here