Atores da Cia Os Ciclomáticos interagiram com o público do Cineteatro Henfil - Foto: Fernando Silva

Neste fim de semana (19 e 20 de maio), o Cineteatro Henfil de Maricá contou a história de uma das conhecidas tradições do folclore brasileiro por meio do espetáculo “A Farra do Boi Bumbá”, encenada pelos atores do grupo teatral Os Ciclomáticos. A peça integra o “Maricá em Cena”, projeto da Secretaria de Cultura.

Criada em 2015, a peça conta com a participação de seis atores para falar sobre a origem da festa, que também é conhecida como “bumba meu boi”. Um dos atores e assistente de direção, Renato Nunes, explicou que é a quinta vez que se apresentam em Maricá, mas sempre tem uma emoção diferente. “A interação do público conduz o espetáculo por isso digo que nenhuma apresentação é igual à outra. É uma peça muito envolvente que agrada a espectadores de todas as idades. É muito importante resgatar a cultura popular brasileira de maneira festiva e alegre”, declarou o ator, acrescentando que o espetáculo já foi apresentado em diversos festivais, como o Goiânia em Cena – Festival Internacional de Artes Cênicas, e Circuito Sesc de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Com duração de 50 minutos, a peça, que tem a autoria e direção de Ribamar Ribeiro, contou a história do capataz de uma fazenda do Nordeste que para atender o desejo de sua esposa grávida, corta a língua do boi preferido do seu patrão, um rico fazendeiro. Após muita confusão, o animal ressuscita depois que o dono faz a promessa de comemorar todos os anos à vida do boi. De acordo com ator, na trama há ainda o desenvolvimento de dois contos do folclorista Câmara Cascudo, “Pedro Malasartes” e “As Três Velhas”.

A mãe Luanda Di Giorgio, de 36 anos, fez questão de acompanhar as filhas Gabriela e Thamirys no espetáculo deste sábado. A filha mais velha Thamirys estava muito curiosa para ver encenada uma história que já conhece. “Adoro teatro e sempre que posso venho para assistir às peças que são fundamentais para o meu estágio no curso de formação de professores”, enfatizou.

Patrícia Guimarães, de 43 anos, e a filha Victoria, de 12 anos, também aprovaram a peça. Para Patrícia, a abordagem de temas da cultura popular facilita inclusive o aprendizado da filha em sala de aula. “Fica mais fácil desenvolver e aplicar um conteúdo quando é encenado com cores, falas e instrumentos. A compreensão é imediata”, declarou a mãe.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here