Funcionários são treinados para utilizar aplicativo que ajudará no monitoramento de serviços da pasta - Foto: Fernando Silva

Com objetivo de dar mais agilidade às solicitações da população, os funcionários da Secretaria de Conservação participaram na manhã da última terça-feira (04/09) no galpão da pasta em Inoã de uma capacitação para conhecer as ferramentas e o funcionamento de um novo Sistema de Gestão de Limpeza Urbana (Sigelu) de suporte, controle e monitoramento dos diversos serviços executados pelo órgão. O sistema é um conjunto de softwares de limpeza urbana que permitem a sincronização de dados em tempo real, provendo maior eficiência na atuação de monitoramento, fiscalização e gestão da limpeza urbana, conservação, iluminação, coleta de resíduos, capina, roçada, varrição, patrolamento, parques e jardins.

Divididos em turmas, ao todo 100 funcionários da secretaria participaram do treinamento. O Sigelu permite ao servidor abrir uma solicitação em tempo real, por meio da utilização de um smartphone, e alimentar o sistema com informações sobre o serviço a ser executado. As atividades foram divididas em quatro áreas: iluminação pública, conservação, coleta de lixo de projetos e ao todo delimitados 42 tipos de serviços diferentes, com tempo de atendimento diferenciado que varia de 30 a 120 dias de prazo. Numa próxima etapa, o próprio cidadão poderá alimentar o sistema informando o local e o serviço desejado.

O secretário de Conservação, Adelso Pereira, falou sobre a importância da ferramenta que permite o gerenciamento das equipes em tempo real. “Esse sistema inteligente nos permite saber quantas equipes estão na rua, o que estão fazendo e o tempo de execução que levam em cada tarefa. Esse monitoramento é fundamental para melhorarmos o atendimento às demandas da população e saber, inclusive, quais áreas necessitam de mais atenção e mais investimento público”, explicou Adelso.

Como exemplo, o secretário revelou que uma demanda de varrição, roçagem ou patrolamento tem um prazo de 30 dias para atendimento. “O sistema permitirá diminuir esse tempo pela metade. Já no que se refere à manutenção de iluminação pública, atendemos em num prazo máximo de 15 dias, mas nossa meta é de atender de 24 a 72 horas”, declarou Adelso, diferenciando o serviço de manutenção do de implantação. “A troca de lâmpadas é um serviço mais fácil do que a instalação que depende de vários outros fatores, e da Enel, por isso, demora mais tempo”, ressaltou.

Idealizado pela empresa Lemobs, integrante do Parque tecnológico da UFRJ formado, em sua maioria, por alunos de mestrados e doutorado do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe-UFRJ), o analista e responsável pela implantação em Maricá, David Wagner de Almeida, informou que o sistema será implantado também em outras pastas como de Obras e de Trânsito. “Estimo que em seis meses estará em plena execução em todas as secretarias envolvidas com todas as ferramentas disponíveis”, ressaltou.

A funcionária do setor de Protocolo Geral da Secretaria de Conservação, Juliana Castro, aprovou o treinamento. “Esse sistema facilita e muito o nosso trabalho. Em vez do papel utilizamos o celular que garante mais agilidade e eficiência no atendimento”, ressaltou. O supervisor Lucas Rodrigues também elogiou a iniciativa. “Essa nova ferramenta contribuiu com o nosso trabalho na rua e também administrativamente. Conseguimos avaliar de forma eficiente o que executamos e qual o grau de resposta de cada equipe”, concluiu o servidor.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here