Encontro de Conselheiros Municipais no Palladon - Foto: Marcos Fabricio

A casa de festas Palladon, situada no Flamengo, sediou nesta quinta-feira (13/09) o 18º Encontro Estadual dos Conselhos Municipais de Educação. Pela primeira vez realizada em Maricá, a cerimônia reuniu representantes dos 92 municípios do Estado para debater sobre as diretrizes da “Base Nacional Comum Curricular: impactos na educação dos municípios”, que foi o tema central. Além disso, o evento teve o objetivo de fortalecer os Conselhos Municipais de Educação, promover a formação, eleger o novo coordenador estadual e dar posse aos novos coordenadores regionais.

Antes de iniciar o debate, alunos da Escola Municipal Indígena Kyringue Aranduá, da aldeia de Itaipuaçu, fizeram apresentação de músicas e danças típicas. A mesa redonda foi composta pela secretária municipal de Educação e presidente do Conselho Municipal de Educação de Maricá, Adriana Luíza da Costa; a coordenadora Estadual da União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação (UNCME) do Rio de Janeiro e vice-presidente da UNCME, Eliana Cavalieri Duarte; coordenadora regional Metropolitana II, Rosana Gildo Vieira; coordenadora do Grupo Articulado de Fortalecimento dos Conselhos Escolares, Alba Valéria Bensi; e a presidente da União Maricaense dos Estudantes (Umes) Yeza Rosa Aguiar.

Anfitriã, a secretária de Educação Adriana Luíza da Costa falou da necessidade de haver encontros que unam os diversos conselhos municipais do Estado. “É importante sediarmos um evento desse porque é uma forma de integrar os conselhos e trabalharmos em prol de uma educação de qualidade equitativa”, disse ansiosa a secretária antes de compor a mesa. “Espero que consigamos evoluir cada vez mais na discussão do currículo da educação para fazer com que ela avance cada vez mais”, enfatizou.

A vice-presidente da UNCME, Eliana Cavalieri comentou que as escolas do país, tanto particulares como públicas, têm o prazo de até 2020 para se adaptarem à nova estrutura da Base Nacional Comum Curricular. “Temos uma responsabilidade muito grande porque nós, como conselhos municipais, somos órgãos normativos e vamos normatizar toda essa nova estrutura dentro dos nossos municípios. Por isso é de extrema importância esse encontro para que possamos entender melhor, já que é um momento novo, uma dinâmica nova, e que as pessoas vão ter que conhecer melhor o que é Base Nacional Comum Curricular e o que ela vai nos trazer de benefícios para as nossas crianças e estudantes”, afirmou.

Eliana Cavalieri chamou a atenção ainda para que o Brasil tenha uma Base Curricular linear, uma vez que foram identificadas desigualdades nos conteúdos apresentados, principalmente em escolas que se localizam no interior dos estados, ocasionando na dificuldade de aprendizado do aluno. “Nós temos que assegurar que aquela criança que está lá no interior do Amazonas e do Piauí tenha a mesma qualidade de educação do que aquela que está ao sul do país. Além do mais, quando uma criança se transfere para outra cidade, ela tem que dar continuidade nos seus conteúdos, coisa que não estava acontecendo”, ressaltou.

Há 4 anos como presidente do Conselho Municipal de Educação de Tanguá, Neli dos Santos Conceição Gomes destacou a relevância de participar do evento. “Esses encontros são muito importantes porque dão oportunidade de conhecermos outras realidades, de estudarmos sobre o movimento da educação, de trocarmos propostas e, principalmente, experiências. Esses debates são muito positivos, pois fortalecem a ação de cada conselheiro em sua cidade”, classificou Neli, que está em seu último ano de mandato na sua gestão.

O texto da Base Nacional Comum Curricular considera como componente curricular obrigatório apenas as disciplinas de Português e Matemática. As demais, como História, Geografia e Biologia aparecerão dentro das áreas de conhecimento, de forma interdisciplinar. O texto também prevê que 40% da carga horária da etapa seja destinada ao aprofundamento em áreas específicas optativas, via itinerários formativos em Linguagens, Matemática, Ciências da Natureza, Ciências Humanas e Formação Técnica e Profissional.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here