Discussões sobre educação em tempo integral - Foto: Elsson Campos

Dando sequência ao ciclo de palestras do Programa Municipal das Escolas de Tempo Integral (Prometi), professores, diretores, orientadores educacionais e pedagogos da rede pública municipal participaram da roda de conversa sobre o olhar do professor e as diferenças existentes em salas de aula. Com o tema “Sob o olhar do Professor”, o 2º debate aconteceu na Escola Municipal Marisa Letícia Lula da Silva, localizada na Rua Esperança, antiga Rua 5, na Chácara de Inoã.

Para debater sobre o assunto, três profissionais da área da educação foram convidadas a compor a mesa: Rejane Macedo (professora da rede municipal e mestre em Educação), Danielle Santos (professora e doutora em História) e Lidiane Macambira (Doutoranda em Educação e Diferenças).

Primeira a discursar sobre o tema, Danielle Santos falou sobre as formas de avaliação e contextualizou as transformações sociais da educação pública no país. “Nós temos organizado vários eventos no sentido de discutir os rumos da educação, a transformação da escola, a função do professor, o como avaliar e o que podemos fazer pedagogicamente para garantir a melhoria contínua da nossa rede como um todo”, disse.

Após a fala da primeira convidada, Rejane Macedo abordou o tópico “Educação e diferenças: por uma educação outra”, no qual relatou a sua própria história de superação envolvendo seu filho, que é especial. “É uma grande provocação e um grande exercício para nós que somos professores de trazer a questão da diferença para a escola. Não a diferença no sentido depreciativo, mas a questão das diferenças que precisam vir à tona para a conversa e para as nossas práticas diárias enquanto professoras”, afirmou.

Gerente do Prometi, Cláudia Cardoso explicou que este encontro faz parte de uma série de três debates promovidos pela Secretaria de Educação, com o intuito de discutir os rumos da área e as práticas no sentido de aprimorar a relação com os alunos em sala de aula. “Primeiro nós falamos da gestão democrática e participativa para que haja realmente uma educação integral. Agora, nós estamos falando do olhar do professor sobre esse aluno que faz parte dessa nova modalidade. No próximo encontro nós vamos falar do espaço, que é a busca para uma educação integral. Ou seja, é a questão de como trabalhar esse espaço dentro das escolas, que é a sala de aula”, concluiu.

Diretora da unidade, Lorimar de Cássia Machado destacou que o encontro é importante para que os profissionais de educação possam refletir sobre o tema e implementar nas unidades o conhecimento adquirido. “O que está sendo falado hoje é de grande valia para que os professores levem para a sala de aula a importância de respeitar o outro, formando um cidadão mais consciente e respeitando as diferenças. Assim, melhoramos a questão do ensino e da troca de experiência, tanto o aluno como o professor”, avaliou.

Atenta à palestra, Sandra Crispim Coutinho contou o motivo de participar do encontro. “Eu acho importante para fortalecer o que nós já fazemos nas escolas no dia a dia, que é trabalhar a diferença de cada um”, disse a orientadora educacional que atua na Escola Municipal Reginaldo Domingues dos Santos, em Ponta Negra. “Gosto de estar participando porque estou sempre renovando as minhas atitudes em salas de aula. Temos que nos aprimorar a cada dia porque estamos sempre recebendo alunos novos, com históricos sociais novos, e isso faz toda a diferença”, completou.

A primeira roda de conversa aconteceu no CAIC Elomir Silva, em São José do Imbassaí, no dia 29 de junho, com o tema “Gestão democrática e participativa”. A última palestra está programada para ocorrer em outubro, no Jardim da Infância Municipal Trenzinho da Esperança, em Guaratiba, e terá como assunto central a questão de como trabalhar a educação integral dentro das escolas.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here