Thalita Rebouças - Foto: Clarildo Menezes

A principal atração desta sexta-feira, 26/10, na Festa Literária de Maricá (FLIM) foi a escritora Thalita Rebouças, que ficou conhecida do público juvenil após o lançamento de seu primeiro livro, ainda em 2003, “Traição entre Amigas”. Ao saber que a autora estaria na cidade, as meninas de Maricá fizeram fila na Praça Orlando de Barros Pimentel (Centro) em frente à tenda Café Literário para garantir um autógrafo, tirar fotos e perguntar algo referente às obras que parecem descrever os dilemas que vivem em seu dia a dia.

Moradora de São José do Imbassaí, Ana Beatriz da Silva, de 13 anos, estava com as amigas e carregava seus três livros. “Um deles eu comprei aqui na FLIM. Os outros eu já tinha. O ‘Fala sério, mãe’ é um deles que eu gostei tanto que até vi o filme e passei a seguir a Thalita no Instagram. Hoje vim aqui fazer um vlog (blog onde são postados vídeos), mas também quero um autógrafo e ficar amiga dela”, disse sorridente.

Laís Montês, de 13 anos, de Jacaroá também estava com as amigas. Todas carregavam o livro ‘Tudo por um popstar’. “Nós estamos com o mesmo livro que amamos, amamos o filme e queremos guardar autografado”, explicou a menina.

Ana Beatriz Freire, de 17 anos, do Bairro da Amizade, contou que leu todos os livros da série Fala Sério. “A Thalita me ajudou muito com os livros a passar e continuar passando por todas as fases da adolescência que não são muito fácil. O que mais me identifiquei foi o ‘Fala sério, amor’ que eu trouxe para ela autografar e quero saber se ela se inspirou em alguém para escrever esses livros”, esclareceu.

Durante o encontro, Thalita Rebouças fez piada, contou casos e falou um pouco de seus 20 anos de profissão, em que escreveu 22 obras das séries “Fala sério” e “Confissões”. Alguns foram levados às telas do cinema, e outros chegarão muito em breve. No currículo da escritora também estão a participação em Bienais, lançamento de livros em Portugal, participação especial como jurada do Soletrando (quadro do programa do apresentador Luciano Huck), roteiro de quadrinhos para uma edição em cores da revista “Luluzinha Teen e sua Turma” e participação como roteirista nos filmes lançados com base em seus livros “Fala sério, mãe” e “Tudo por um Pop Star”.

“Eu comecei a escrever aos 10 anos e me formei, só que como jornalista não podia inventar histórias. Então resolvi escrever. Mas nunca imaginei que pudesse ter tanta gente lendo e gostando dos meus livros. E na verdade, não tem muita coisa ali de mim não. Esse é o legal de ser escritora, é que eu posso pegar algo e dar uma aumentada, inventada”, contou. “Em ‘Fala sério, amor’ eu falo de um pato que correu atrás de mim, só que de uma forma muito mais engraçada”, acrescentou.

As histórias contadas por ela também são inspiradas em seu dia a dia, na praia, através do que ouve da conversa dos outros e até no elevador. “Tenho muita sorte de poder trabalhar e estar sempre em contato com vocês, seja no Instagram ou aqui numa feira de livros, onde vocês podem me olhar no olho e pedir coisas, falar o que pensam. Acho que por isso que vocês se inspiram tanto nos meus livros”, completou a escritora, que tem em Fernando Sabino uma inspiração.

Antes de atender às 150 pessoas presentes em sua palestra, uma a uma, Thalita Rebouças fez questão de deixar uma mensagem: “Não desistam nunca do sonho de vocês. Nós temos mania de estacionar diante dos obstáculos e olha que bacana está acontecendo comigo. A gente não tem que se importar com a opinião dos outros. Se você faz com amor e alguém não gosta de você, não é problema seu, mas da pessoa. É libertador quando a gente entende que não precisa de aprovação e do amor das pessoas”, concluiu, admitindo que pretende continuar usando o humor para falar nas entrelinhas de coisas sérias.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here