Murilo Madruga de França ganhou medalha de prata na Olimpíada Brasileira de Matemática - Foto: Marcos Fabricio

Participando pela segunda vez da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas – OBMEP 2018 – o jovem Murilo Madruga de França, de 13 anos, aluno da Escola Municipal João Monteiro (Itaipuaçu), acaba de conquistar a medalha de prata na 14º edição da competição que teve sua segunda fase realizada em 15 de setembro. De acordo com a diretora geral, Ana Paula Altoé, desde 2013 que os alunos da unidade têm obtido bons resultados, neste que é um projeto dos ministérios de Ciência e Tecnologia e de Educação, criado para estimular o estudo da Matemática entre estudantes e professores de todo o país.

“Nós já realizamos um trabalho focado no aluno há muito tempo. Aqui no João Monteiro todos participam da OBMEP, inclusive os alunos da EJA (Programa de Educação de Jovens e Adultos). E, todos que passam da primeira para a segunda fase recebem uma certificação, independente do resultado obtido na olimpíada”, disse Ana Paula. “Inclusive já vem sendo uma premissa da nossa escola receber várias menções honrosas. Só em 2017 recebemos cinco e esse ano, além da medalha de prata do Murilo, os alunos João Paulo Borges e Rebeca Cristina Pereira receberam menções honrosas”, contou orgulhosa.

Murilo Madruga revelou como foi sua preparação para a competição. “Esse ano pude me preparar mais principalmente devido ao projeto OBMEP na Escola que acontece aqui no João Monteiro. Os professores do projeto trouxeram novidades, mais exercícios e isso me deixou muito mais seguro”, avaliou. “É uma sensação muito boa conquistar uma medalha, ainda mais de prata em uma competição como essa. Fiquei muito feliz com o resultado e ano que vem quero participar novamente e tentar a medalha de ouro. Esse ano ainda tive algumas dificuldades, mas pretendo me dedicar mais para supera-las. Todo mundo é capaz, basta estudar muito e se comprometer mais com a matemática”, aconselhou o jovem.

De acordo com a professora Sandra Elisa Ramalho da Silva, responsável por desenvolver o Projeto OBMEP na escola, o grande desafio é mostrar aos alunos que estudar matemática não é nenhum “bicho de sete cabeças”. “É através desse programa que estimulamos os alunos a participar da OBMEP e estudar matemática sem que ela seja vista como uma disciplina monstruosa ou aterrorizante. O Murilo já participa desse projeto desde o inicio, ou seja, há dois anos e a cada ano mais e mais alunos se interessam pelo projeto”, ressaltou Sandra Elisa.

Já o professor de Matemática Renato Sérgio Andrade, que há 15 anos leciona no João Monteiro, afirmou que é dever da escola direcionar os alunos e trabalhar com eles a autoconfiança. “É importante dizer que essa conquista é mérito do Murilo. Em nossa turma temos aproximadamente 36 alunos, na qual, o Murilo sempre se destacou e eu como os demais professores e profissionais de educação seguimos monitorando e trabalhando questões na tentativa de dar mais segurança aos alunos”, explicou. “Esse é um evento nacional que tem supra importância e que vem fortalecer a matemática nas escolas públicas do Brasil. É fundamental a participação de todas as escolas e o ponto mais positivo desse resultado conquistado pelo nosso aluno Murilo é que ele transmite para os demais alunos que é possível estar entre os melhores”, concluiu o professor.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here