Cineasta Ruy Guerra grava filme em Maricá - Foto: Valéria Vianna

O premiado diretor de cinema Ruy Guerra escolheu Maricá para gravar cenas de seu próximo filme, “História de um Crime”. As filmagens contam com o apoio da Prefeitura de Maricá, através da Secretaria de Cultura. Nessa terça-feira (04/12), a equipe do diretor montou o set de filmagem na Restinga, onde rodou imagens com cavalos. Já na segunda esteve no Recanto para filmar na areia da praia e no mar de Itaipuaçu.

A secretaria deu o suporte necessário às produtoras Mariza Figueiredo e Janaína Diniz Guerra, filha do cineasta, para que conduzissem os trabalhos nas locações no município. “Trabalhamos com baixo orçamento, basicamente prêmios como o Fundo Setorial do Ministério da Cultura, Ancine, enfim, CiaRio-Naymar, que cedeu todo o equipamento de filmagem, por exemplo. Sem essa ajuda seria praticamente impossível rodar um filme. O apoio da Prefeitura foi fundamental,  importantíssimo para nós, principalmente por conta da proximidade com o Rio, que facilita demais”, comenta Mariza.

O roteiro, escrito por Ruy Guerra e Luciana Mazzotti, narra a história de um homem que tem duas mulheres iguais, que moram em casas iguais, sendo que uma é no oceano e a outra, no deserto. “Maricá é perfeita porque, em uma única locação, que é o caso aqui da Restinga, podemos filmar os dois ambientes da história: o deserto e o oceano. E isso implica economia e praticidade”, explica a produtora. Na trama, encenada pelas atrizes Simone Spoladore e Chris Ubach e pelos atores Emílio de Mello e Júlio Adrião, o personagem com as duas amantes é sugestionado a acreditar, por um amigo, que uma das mulheres pode estar querendo matá-lo. Isso tudo contado dentro de um estilo noir (o filme é todo rodado em preto e branco) e num clima de irrealidade. “Trata-se de uma obra aberta, em que cada espectador poderá tirar a conclusão que quiser”, ressalta a co-roteirista Luciana Mazzotti.

Nessa quarta-feira (05/12), a equipe terminou de gravar as últimas cenas, ainda na Restinga, e entra agora no processo de pós-produção do filme. Para a secretária de Cultura, Andréa Cunha, não haveria como negar o apoio para o trabalho de um diretor como o moçambicano Ruy Guerra: “Maricá não só investe em cultura na cidade, mas procura ser suporte para iniciativas ligadas à arte em geral porque acredita, sobretudo, na arte como construção de identidade e cidadania”, conclui.

A cidade vem se firmando como cenário de locações tanto para o cinema, como no caso do filme de Ruy Guerra e em outros já lançados – o mais recente foi ‘Os Farofeiros”, rodado em Itaipuaçu – como para produções destinadas às TVs abertas e a cabo, além de comerciais e videoclips musicais. Além da produção de Guerra, duas séries estão sendo rodadas neste momento na cidade: a segunda temporada de “Ilha de Ferro” e o novo programa com os humoristas Tatá Werneck e Eduardo Sterblitch, a série “Shippados” escrita por Fernanda Young e Alexandre Machado. Ambas as produções são da TV Globo e estão também recebendo suporte da Prefeitura nas locações por conta do trânsito.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here