O programa Renda Básica de Cidadania (RBC), criado pela Prefeitura de Maricá em 2013, projetou a moeda social Mumbuca novamente na imprensa internacional, desta vez, o destaque foi por meio do documentário Planeta A, exibido na última segunda-feira (09/05), na TV Portuguesa RTP1, co-produzido pela Fundação Calouste Gulbenkian.

Pioneira no país, a moeda social Mumbuca combate a pobreza e aquece o comércio local, ações que chamaram a atenção da produção da TV Portuguesa para conhecer de perto como tudo funciona. O documentário foi gravado em 2020 e mostra o case de sucesso da cidade de Maricá, no episódio “Pobreza e Desigualdade Social”.

O ator João Reis percorreu as ruas de Maricá, onde mostrou, na prática, como funciona a moeda social Mumbuca e como ela contribui para a manutenção dos empregos e circulação de renda na cidade. “Maricá apresenta a maior experiência de rendimento básico da América Latina, posta em prática desde 2013. O programa social foi desenvolvido para tirar maricaenses da pobreza extrema e atualmente atende também pessoas com dificuldades econômicas”, explica o apresentador.

O documentário exibe a história da comerciante Jandira Reis, beneficiária do Renda Básica de Cidadania, que relata a sua experiência a partir do recebimento do benefício. “Jandira tem uma banca onde revende doces e salgados em Maricá, que são comprados com a moeda Mumbuca. Vejo nela que, quando dada uma oportunidade, a maior parte de nós tenta dar um salto”, finaliza o apresentador.

Oito anos da Mumbuca

A moeda social Mumbuca de Maricá completou oito anos de circulação no município em dezembro de 2021, assegurando suporte econômico à população que mais precisa e tornando-se o mecanismo de transformação social na cidade. Desde 2013, mais de 42 mil maricaenses em vulnerabilidade são beneficiados pelo programa de Renda Básica de Cidadania (RBC), que fornece 170 mumbucas mensais (equivalentes a R$ 170) para serem utilizadas em 12.608 mil estabelecimentos comerciais credenciados.

Os microempreendedores locais e pequenos negócios credenciados no banco comunitário recebem e movimentam Mumbuca, fora as grandes empresas que recebem dos beneficiários, somando cerca de 18 mil estabelecimentos cadastrados na cidade. Afinal, apenas comerciantes podem trocar a moeda social local (Mumbuca) pela moeda nacional (Real), realizando o pagamento de uma taxa simbólica.

Em outubro de 2021, foi lançada a moeda social de Cabo Frio, a Itajuru, inspirada no modelo de sucesso da moeda Mumbuca. O município de Niterói, vizinho a Maricá, lançou a Moeda Social Arariboia. Em Itaboraí, a moeda social recebeu o nome de Pedra Bonita; já em Saquarema, a moeda foi chamada de Saqua; São Pedro da Aldeia, intitulada Caboclinho; todas tendo como referência a Mumbuca. A política adotada pelas cidades simboliza a integração para a melhoria das condições de diversas famílias.

 

 

Confira o vídeo: https://bit.ly/3a11RlZ

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here